Perguntas Frequentes

Dúvidas sobre Gesso

O ideal é iniciar o serviço de gesso antes do piso, contrapiso e massa corrida, o que faz com que o processo seja rápido, mais limpo e fique com melhor fixação.

Sim, por causa dos respingos da massa que caem na parede. Além disso, o material causa pó quando lixado. O ideal é retirar os móveis ou cobri-los com plástico. O piso também deve ser protegido.

Sim, de preferência o azulejo já deve estar colocado para que o gesso de o acabamento (do contrário ficarão imperfeiçoes do corte do azulejo à mostra), porém, pede-se que o rejunte seja aplicado depois do gesso.

Sim, o gesso aceita todo tipo de revestimento, como papel de parede, cerâmica, tecido, madeira e laminado.

Se o ambiente não for bem ventilado, sim. Para protegê-lo o ideal é usar tintas epóxi ou 100% acrílicas, que são resistentes à umidade.

O gesso convencional tem medidas de 60x60cm e é composto de puro gesso fundido com encaixes. O acartonado é cerca de 4 vezes maior, é constituído por duas folhas de papelão recheada de gesso. Em média o acartonado torna-se 50% mais caro. Aparentemente depois de pronto, não nota-se diferença no forro. São dois ótimos materiais.

As trincas ocorrem quando as molduras, que servem de dilatação entre o gesso e a alvenaria, são mal feitas. Um bom gesseiro evita isso. Portanto, em áreas com mais de 7 m², utiliza-se “molduras de dilatação” e tabica (negativo), ou passa-se a utilizar o gesso acartonado, pois suas chapas são maiores e são parafusadas nos perfis.

Vai depender do material usado. Na utilização do forro convencional é necessário um espaço de 15 cm para a fixação das placas. No caso do gesso acartonado pede-se entre 6 e 10 cm para fixação dos perfis de aço onde serão parafusadas as chapas.

Sim, por causa dos respingos da massa que caem na parede. Além disso, o material causa pó quando lixado. O ideal é retirar os móveis ou cobri-los com plástico. O piso também deve ser protegido.

Dúvidas sobre Dryowall

Se bem-feitas, sim. Por isso, há necessidade de contratar gente especializada. Convém tomar cuidados, como o cálculo estrutural adequado ao pé-direito. Se for de 2,70 m, basta uma placa comum (12,5 mm de espessura) em cada lado do perfil metálico. Conforme aumenta a altura, melhor reforçar o conjunto com versões mais espessas ou duplas. Obras maiores pedem o auxílio de arquiteto, já uma parede pode ser planejada por consultores técnicos indicados pelas revendedoras.

Projetado para absorver as movimentações naturais, o drywall passou em testes de impacto e cumpre as normas de desempenho da ABNT. Os fabricantes asseguram que o material resiste a trombadas sem danos e não é fácil de ser derrubado. Também não apresenta patologias frente a impactos do dia a dia, como batidas de porta.

Se ela não for estrutural, sem problemas. As vantagens da troca são ganho de espaço, bom isolamento termoacústico e facilidade para passar novas instalações hidráulicas e elétricas.

Destinado apenas a áreas internas, não suporta intempéries, nem apoia carga de telhado ou laje. Nesse caso, o ideal seria empregar o sistema steel frame, ou seja, perfis estruturais de aço fechados por fora com chapas cimentícias ou OSB. Alguns fabricantes lançaram painéis que utilizam as placas de cimento externamente e o drywall por dentro, cumprindo essa função. Outra restrição é o emprego em saunas, por causa do vapor constante.

Essa combinação dispensa acabamento final (reboco e massa fina). Compensa nas situações em que a superfície é irregular ou se deseja passar fios e canos sem quebra-quebra. Além disso, a solução aumenta os desempenhos térmico e acústico.

Não há proibições, mas cada opção requer cuidados específicos. Para a pintura, indica-se aplicar massa para drywall e tinta acrílica ou látex PVA. Revestimentos cerâmicos são fixados com argamassa colante própria. Já as pedras pesadas pedem cantoneiras a fim de distribuir as cargas nos montantes.

Sim, para isso é preciso preparar a montagem estrutural. Onde será fixado o batente, são colocados montantes e uma verga metálica na parte de cima do vão. O batente pode ser preso com parafuso (e então é mantido um reforço) ou espuma de expansão. Nesse segundo caso, melhor adotar montante duplo ou perfil de aço e chapas mais grossas (0,95 mm) que as utilizadas em perfis normais (0,50 mm). Em portas de correr, as vergas recebem trilhos. Para ocultar a folha corrediça, a solução é fazer à frente dela uma segunda parede simples.

Claro. Peças assim, que chegam a pesar mais de 60 kg por m2, exigem reforço no interior do drywall. Trata-se de um pedaço de madeira ou chapa metálica preso entre dois perfis verticais de aço – os mesmos onde é parafusado o gesso. Depois da parede fechada, mãos-francesas cuidam de sustentar a bancada.

Será necessário abrir uma das faces da parede escolhida, aplicar o reforço e então usar nova placa de gesso para o fechamento, já que geralmente ela é danificada na desmontagem.

Todo objeto que pesa até 10 kg pode ser preso no gesso. Se tiver entre 10 e 18 kg, convém instalá-lo nos perfis. Acima disso, deve-se aplicar o reforço ou distribuir a carga. Isso porque a distância máxima entre dois montantes é de 60 cm, e cada um deles suporta 18 kg. Se o espelho tiver essa largura e pesar até 36 kg, a carga total será dividida entre os dois perfis.

Sim, porém exige cálculo estrutural feito por profissionais gabaritados. Não adianta reforço somente na parede, já que o peso alcança até 400 kg, e o perfil metálico (montantes e guias) é diferente do usado em paredes. Ele precisa ser reforçado com chapas de aço mais grossas, onde serão soldados os ganchos.

A durabilidade depende de várias circunstâncias, como o local de instalação. A vida útil aumenta se preservada do contato direto com água e não receber agressões físicas pontuais (martelo). Os fabricantes dão cinco anos de garantia para serviços e materiais instalados conforme as especificações do manual.t

Open chat